Segurança do trabalho para estéticas automotivas: sistema respiratório

A beleza e o perigo podem caminhar de mãos dadas

Por Sergio Kocerginsky

Meu nome é Sérgio Kocerginsky, trabalho na área comercial e técnica da Detail Shop Brasil, uma importadora de produtos de alto padrão para estéticas automotivas, em meu cotidiano visito clientes de diversas regiões e realidades do Brasil. Uma de minhas formações é como técnico em segurança do trabalho, área na qual atuei por muitos anos na parte técnica e lecionando.

Desde que comecei a atuar no segmento de detalhamento automotivo tenho me deparado com inúmeros potenciais desastres no que se diz respeito a segurança do trabalho. Uma grande parte dos profissionais do segmento de detalhamento automotivo não lida da maneira ideal com a sua segurança nos trabalhos realizados cotidianamente para os nichos de estéticas automotivas, isso acontece muitas vezes pela falta de orientação a respeito do tema.

Para tratar de forma correta sobre o tema Segurança no Trabalho para Estéticas Automotivas, iniciaremos uma série de artigos com a finalidade de mostrar alguns riscos eminentes da profissão, além de apresentar possíveis medidas preventivas existentes para o segmento.

Nesse primeiro texto trataremos dos riscos que essa profissão apresenta ao seu sistema respiratório.

Riscos ao sistema respiratório

Os riscos ao seu sistema respiratório estão presentes desde o processo de lavagem até a aplicação de um revestimento. O detalhamento automotivo como um todo é um serviço realizado com produtos químicos, desde o processo de lavagem o profissional entra em contato com diversos desses produtos, portanto a segurança do trabalho para estéticas automotivas é mais que prioridade.

Um dos riscos que mapeei nesse processo acontece no momento em que os profissionais fazem o uso de máquinas de pressão com a finalidade de higienização, por exemplo, no decorrer desta tarefa respingos de água misturadas com produtos químicos costumam ser direcionadas para as vias respiratória em alta velocidade, correndo até mesmo o risco de ingestão dessas partículas e isso pode desencadear em intoxicações e doenças crônicas no trato digestivo e/ou respiratório.

No processo de polimento, notei diversas ameaças à saúde do profissional, os riscos dessa função estão atrelados ao pó ou poeira provenientes do verniz, dos compostos polidores e seus elementos químicos danosos. Os resíduos que surgem do polimento são rapidamente dispersos no ar, devido ao atrito da máquina com a peça do carro e uma vez dispersos, entram em contato com as vias respiratórias podendo causar doenças gravíssimas no trato respiratório.

A aplicação de restauradores de brilho, ceras e selantes também apresenta alguns riscos, por mais que alguns desses produtos possua origem natural/vegetal, eles podem liberar poeira e/ou vapor nocivos à saúde de quem trabalha com estéticas automotivas.

Revestimentos à base de vidro, cerâmicos e nano cerâmicos, são produtos que oferecem um elevado risco respiratório, pois liberam no ambiente vapores químicos orgânicos de alta volatilidade que podem corroer os tecidos e mucosas ao serem inalados e apresentam um elevado risco de danos neurológicos.

Soluções aos problemas apresentados nas estéticas automotivas

Para todos os perigos citados acima existem alternativas de proteção, coletivas e individuais. Vamos falar um pouco dos EPIs e EPCs. Os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) são dispositivos de uso individual utilizados pelos trabalhadores, destinados a proteção contra elementos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde. Os EPCs (Equipamentos de Proteção Coletivas) são os dispositivos ou sistemas pensados para o âmbito coletivo, destinados à preservação da integridade física e da saúde dos trabalhadores, assim como a de terceiros.

Estéticas Automotivas

Tratando-se da proteção das vias respiratórias, o EPC mais utilizado pelas empresas é o sistema de exaustão e de controle da umidade do ar e temperatura, já os EPIs também chamados de EPRs (Equipamentos de Proteção Respiratórios), variam de uma simples máscara de proteção ao uso de um respirador com proteção química contra vapores orgânicos.

Estéticas Automotivas

Existem também algumas medidas ambientais que podem ser tomadas para auxiliar à segurança dos profissionais que trabalham com estética automotiva (ambiente bem arejado, água tratada, estrutura física íntegra e adequada).

Estéticas Automotivas

Entrando para o cotidiano de uma Estética Automotiva, recomendamos para o processo de lavagem uma máscara de proteção simples associada a um protetor facial em acrílico, isso já será o suficiente.

Para o polimento indicamos um respirador PFF2, ele suprirá a segurança do profissional. Este mesmo equipamento poderá ser utilizado para revitalizações, aplicações de ceras e selantes e para higienizações internas.

Na aplicação de revestimentos cerâmicos, o equipamento mais indicado é um respirador facial contra vapores orgânicos, podendo ser descartável ou permanente, com troca de cartuchos.

Recomendamos que os profissionais de estéticas automotivas contêm com um Equipamento de Proteção Individual (EPI) para cada tipo de serviço prestado, visto que no Brasil os equipamentos de alta proteção são ergonomicamente desconfortáveis. Internacionalmente já existem opções de equipamentos com alta tecnologia para proteção das vias respiratórias, estes oferecem uma ampla proteção associada ao conforto e ergonomia.

Vale ressaltar que a utilização destes equipamentos de proteção sem o devido treinamento não tem valor algum, pois é através de um treinamento que o profissional aprende a utilizá-los da maneira correta.

Gostou do artigo? Para outros conteúdos e dicas legais acompanhe o nosso blog. Siga também nosso Facebook e Instagram.

Sergio Kocerginsky

Representante Técnico-Comercial Detail Shop Brasil

Técnico em Segurança do Trabalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *